Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /whm2/jaguarin/public_html/includes/conexao.php on line 2
Jaguar in Pantanal
Mudar linguagem para Inglês
Mudar linguagem para Português
Onça-pintada - Jaguar - Na Fazenda San Francisco - Pantanal do Miranda MS
Onça-pintada - Jaguar - Na Fazenda San Francisco - Pantanal do Miranda MS
No rastro da onça-pintada - following the jaguar in the Pantanal
Onça-pintada - Jaguar - Na Fazenda San Francisco - Pantanal do Miranda MS
Onça-pintada - Jaguar - Na Fazenda San Francisco - Pantanal do Miranda MS
Turismo de Pesquisa Científica
Interatividade
Saiba Mais
Cadastre-se
Nome:
E-mail:
 

ONÇA PINTADA

 


Nome Científico:
Panthera onca

Veja vídeo das onças na Fazenda San Francisco: http://www.youtube.com/watch?v=p57BVc1YfpI


Outros nomes comuns: jaguar, yaguareté, canguçú, nahuel, uturuncu, zauat, yaúi

 

A onça-pintada / jaguar é o maior felino das Américas, e o terceiro maior do mundo, só ficando atrás do tigre (Panthera tigris) e do leão (Panthera leo).

Apesar disso, considera-se que tenha a mordida mais poderosa dentre todos os felinos, proporcionalmente ao seu tamanho.

Na região do Pantanal, são encontrados os maiores exemplares, sendo que existem registros de grandes machos que chegaram a pesar 140kg.

Ocorriam naturalmente desde o Texas nos EUA até o norte da Argentina, porém a caça e a destruição de habitats causaram seu extermínio da maior parte da distribuição geográfica original.

As onças-pintadas ocorrem numa ampla variedade de habitats, mas parecem necessitar cobertura vegetal abundante, água, e presas suficientes.

São encontrados desde os ambientes xéricos do Chaco até as florestas tropicais úmidas.

Aqui na Fazenda San Francisco, o maior número de avistagens da onça-pintada se dá entre os meses de junho e setembro, provavelmente por causa do período de reprodução dos animais.

Nessa época já foram avistados dois ou mais animais adultos juntos, inclusive um macho e uma fêmea “namorando”.

Segundo a literatura consultada, os indivíduos são solitários a não ser que seja uma fêmea acompanhada de seus filhotes ou macho e fêmea em época de acasalamento.

A mãe dá à luz de um a quatro filhotes (em geral dois) em um local protegido como por exemplo uma caverna, sob a barranca de um rio, no meio de um espinheiro, ou abaixo das raízes de uma árvore.

A gestação dura em média 100 dias, e os filhotes nascem com cerca de 950g e 40 cm de comprimento.

Após uma semana, aproximadamente, abrem os olhos, aos 75 dias de vida passam a receber alimento sólido além do leite materno, e com cerca de 5 meses de idade são desmamados. Os filhotes podem ficar com a mãe por até um ano e meio de vida, quando dispersam.

A onça-pintada é um predador oportunista, sendo mais ativa logo após o crepúsculo e pouco antes do amanhecer, embora possa ser vista durante todo o dia. Ela utiliza seus grandes caninos para segurar suas presas, e sua poderosa mordida para matá-las.

No caso de algumas presas maiores ela utiliza a queda do animal para quebrar seu pescoço.

Animais predados incluem 85 espécies, e dentre elas podemos citar: catetos, queixadas, porcos-monteiros, jacarés, capivaras, cotias, pacas, cervos-do-Pantanal, veados, antas, tatus, tamanduás, quatis, mão-peladas, jabutis, tartarugas, macacos, aves e peixes.

Na região do Pantanal a onça-pintada foi, e ainda é, muito perseguida por ser considerada uma ameaça à criação de gado.

De fato, esse grande felino pode predar o gado doméstico, mas diversos estudos já mostram que a grande maioria das onças que apresentam esse comportamento se enquadram em duas categorias: animais muito velhos ou previamente feridos por balas que já não tem capacidade de obter presas silvestres.

Além disso, o próprio modo com se dá a criação do gado pode ser causa de um aumento na predação de animais domésticos, isto porque a colocação do estoque em áreas de rios e matas aumenta o risco de predação.

E também a diminuição do número de presas naturais pode levar as onças a recorrer à criação para sobreviver.

 

Atualmente estudos estão sendo realizados de forma a encontrar formas de minimizar o impacto desse conflito tanto para os criadores quanto para os animais.
 

Texto produzido por: Henrique Villas Boas Concone - Pantanal - Fazenda San Francisco - hvbconcone@yahoo.com.br



http://www.fazendasanfrancisco.tur.br/ - http://www.gestaoativa.com.br/  - http://blogpantanalfazendasanfrancisco.blogspot.com/

Desenvolvido por Gestão Ativa - Sites e SEO em Campo Grande.